terça-feira, 10 de outubro de 2017

António Brandão de Pinho traça o perfil biográfico e genealógico de Gentil Moreira de Sousa


Sendo ainda raras entre nós as biografias como formas literárias, o certo é que estas assumem cada vez mais destaque. Com efeito, não há duas vidas nem dois percursos de vida iguais. Algumas vidas e percursos são mesmo notáveis, com exemplos e particularidades dignas de destaque. Há circunstâncias de vida, estórias e memórias que devem ser perpetuadas e conhecidas pelas gerações contemporâneas e vindouras.
Por outro lado, suscita cada vez mais curiosidade o conhecimento da família para além da memória pessoal ou transmitida. Da família para além dos avós. Donde vieram? O que fizeram? Que nomes tiveram? Constituem perguntas, cujas respostas, ricas de dados e informação, preenchem as mais belas páginas da história de cada um.
Foi com estes propósitos que António Brandão de Pinho, presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação de Defesa do Património Arouquense traçou mais um perfil biográfico e genealógico. Desta feita, de Gentil Moreira de Sousa, empresário luso-brasileiro, natural de Arouca, agraciado com vários reconhecimentos e condecorações pelos Estados do Brasil e Portugal.
O trabalho em apreço, com cerca de 80 páginas, em formato A4, compreende aspectos da vida do biografado, mas também da história de Arouca ao tempo da sua meninice e juventude, que decorreu entre 1929, data em que nasceu, e 1951, data em que emigrou para o Brasil. O perfil genealógico dá a conhecer os seus ascendentes até 1650 e os registos de nascimento, casamento e passamento dos mesmos. O formato do trabalho é assim propositado a possibilitar a leitura dos mais antigos documentos, bem como a observar as dezenas de fotografias de família que ilustram o trabalho.

sábado, 26 de agosto de 2017

António Brandão de Pinho lança nova obra sobre a Ordem de Malta

António Brandão de Pinho, presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação de Defesa do Património Arouquense lançou uma nova obra sobre a Ordem de Malta, epigrafada "A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses".

Clicar sobre a imagem para comprar já o livro

A temática deste novo trabalho de António Brandão de Pinho volta a ser a história da Ordem de Malta e, nomeadamente, da presença desta antiga Ordem Religiosa e Militar em Portugal, onde deteve e administrou bens desde dos alvores da Nacionalidade até à extinção da Ordens Religiosas em 1834. Desta feita, no entanto, o autor faz um paralelismo da história da Ordem de Malta com a história de Portugal, perspectivando-a, depois, em cada uma das autarquias tratadas (mais de oitenta), à luz da leitura heráldica dos respectivos brasões. Trata-se, com efeito, de um trabalho sobre história e heráldica autárquica.

O livro, cuja apresentação e pré-lançamento, teve lugar em Rossas, no passado dia 11 de Agosto, e tem apresentação e lançamento no próximo dia 9 de Setembro, em Lisboa, tem prefácio do Senhor Conde de Albuquerque, Presidente do Conselho da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta, e uma especial menção, em contra-capa, do Professor Doutor Pedro Soares Martinez, Catedrático Jubilado da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Como se trata de um trabalho com abrangência nacional, optou o autor por entregar a edição à Chiado Editora, que assegura a distribuição em todo o país e no Brasil.

Será ainda possível adquirir a obra em Bertrand, Fnac, Wook, Porto Editora, Publicações Europa-América, entre outras.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Sobre o estado em que se encontram os achados arqueológicos de Escariz

Aspecto da Mamoa 1 da Aliviada
Conta já alguns anos o acompanhamento e preocupação que António Brandão de Pinho, presidente da Mesa da Assembleia da Associação de Defesa do Património Arouquense, vem fazendo e manifestando relativamente ao lamentável estado de degradação e abandono em que se encontram os achados arqueológicos de Escariz.
Desta feita, é mesmo particularmente critico ao concluir e sugerir que: «Chegados aqui, volvidos precisamente 60 anos desde a data em que, nas férias da Páscoa, se trouxeram aqueles vestígios arqueológicos à luz do dia, sendo evidente a incapacidade da junta de freguesia, da câmara municipal, de alguma associação ou entidade para assegurar a preservação e salvaguarda daqueles bens, resta apenas apenas uma solução: referenciados que estão os locais e estudados os vestígios, enterrem-se os achados arqueológicos de Escariz!»
O artigo pode ser lido no blog pessoal (link) de António Brandão de Pinho.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

VOTO DE PESAR E CONDOLÊNCIAS

Em Sessão Ordinária da Assembleia Geral da ADPA – Associação da Defesa do Património Arouquense, realizada no passado dia 25 de Fevereiro de 2017, sob proposta da Direcção, foi aprovado pela unanimidade dos associados presentes um VOTO DE PESAR E CONDOLÊNCIAS pelo falecimento do associado n.º 50, Sr. Arqt.º Fernando Augusto Abrunhosa de Brito, residente na cidade do Porto.

Arouca, 26 de Fevereiro de 2017.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral
António Jorge Brandão de Pinho

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Pintura alusiva à "Circuncisão do Menino Jesus", originária da Igreja de Rossas, foi objecto de conservação, restauro e Dissertação de Mestrado

A Circuncisão do Menino Jesus
(204,5cm x 150,5cm x 3cm)
Século XVII
SMP

Foi recentemente feita a apresentação pública do trabalho que teve por objecto a investigação, conservação e restauro da pintura "A Circuncisão do Menino Jesus", originária da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Rossas, Arouca, e hoje pertencente à colecção particular do Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição do Porto, levado a cabo pela Sra. Dra. Susana Catarina Silva Mendes, e que contou com a colaboração do Dr. António Brandão de Pinho, presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Associação de Defesa do Património Arouquense, que há alguns anos a esta parte se tem debruçando sobre a história da paróquia e freguesia de Rossas. De resto, também ele investigou e estudou o paradeiro e história das pinturas outrora pertencentes à Igreja de Rossas, conforme se pode consultar de págs. 194 a 202 do seu trabalho "Rossas e a Ordem de Malta", editado pela ADPA, em Dezembro de 2015.
Mote para uma Dissertação de Mestrado, epigrafada "A conservação e restauro da pintura A Circuncisão do Menino Jesus da coleção particular do Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição do Porto", defendida no âmbito do Mestrado em Conservação e Restauro de Bens Culturais da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, este trabalho e investigação teórico-prática, revela um estudo exaustivo, com cerca de 190 páginas, que muito vem contribuir para o conhecimento do tema em apreço, valorização da pintura e, também assim, da história da própria Igreja Matriz de Rossas.
Uma vez aqui chegados, António Brandão de Pinho deseja que, não sendo já hoje possível fazer retomar as antigas quatro pinturas outrora pertencentes à Igreja de Rossas e actualmente (desde os anos 50 do século passado) pertencentes à colecção particular do Seminário Maior do Porto, seja possível, pelo menos, fazer réplicas das mesmas para colocar na Igreja Matriz ou Museu Paroquial de Rossas e que, nas originais, agora todas expostas no Seminário Maior do Porto, sejam colocadas legendas com o local de proveniência. Oxalá assim aconteça!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

ASSEMBLEIA GERAL
CONVOCATÓRIA
Eu, António Jorge Brandão de Pinho, presidente da Mesa da Assembleia-Geral da ADPA - Associação de Defesa do Património Arouquense, em conformidade com as disposições legais aplicáveis e estatutos da associação, convoco todos os associados para uma Sessão Ordinária, a realizar sábado, dia 25 de Fevereiro de 2017, pelas 17h00, na sede da associação, sita na ala sul do Mosteiro, Largo de Santa Mafalda, na vila de Arouca, com a seguinte
ORDEM DE TRABALHOS:
1. Apresentação e votação dos Relatórios de Actividades e Contas, referentes ao exercício de 2016;
2. Tratar outros assuntos de interesse.
Arouca, 25 de Janeiro de 2017

O presidente da Mesa da Assembleia-Geral
António Jorge Brandão de Pinho
Se à hora indicada não se verificar o quórum necessário, a Sessão terá inicio decorrida meia hora com o número de associados presente.
ASSEMBLEIA GERAL
CONVOCATÓRIA
Eu, António Jorge Brandão de Pinho, presidente da Mesa da Assembleia-Geral da ADPA - Associação de Defesa do Património Arouquense, em conformidade com as disposições legais aplicáveis e estatutos da associação, convoco todos os associados para uma Sessão Ordinária, a realizar sábado, dia 25 de Fevereiro de 2017, pelas 16h30, na sede da associação, sita na ala sul do Mosteiro, Largo de Santa Mafalda, na vila de Arouca, com a seguinte
ORDEM DE TRABALHOS:
1. Apresentação, discussão e votação do Plano de Actividades e Orçamento, para o exercício de 2017;
2. Tratar outros assuntos de interesse.
Arouca, 25 de Janeiro de 2017

O presidente da Mesa da Assembleia-Geral
António Jorge Brandão de Pinho
Se à hora indicada não se verificar o quórum necessário, a Sessão terá inicio decorrida meia hora com o número de associados presente.